sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Convênio de reciprocidade com a Economus começa a vigorar

O convênio de reciprocidade para cessão de serviços de assistência médico-hospitalar firmado entre a CASSI e o Instituto de Seguridade Social – Economus começou a vigorar nesta segunda-feira, 3. O atendimento do convênio está restrito a São Paulo. O estado dispõe de uma rede credenciada com 7.601 prestadores, entre hospitais gerais, hospitais especializados, clínicas, laboratórios, remoção, radiodiagnóstico, medicina física e reabilitação, psicologia, psiquiatria, home care, médicos em diversas especialidades. Para consultar os prestadores de serviços credenciados pela CASSI, basta acessar o link Rede Credenciada.

O Economus informará os participantes sobre mensalidades, co-participação, alteração cadastral, emissão de segunda via de cartão de identificação e regras do plano de saúde. Os participantes podem entrar em contato com o Instituto pelo site www.economus.com.br ou pela Central de Relacionamento pelo número (11) 3464-7700. A Central CASSI, que atende pelo telefone 0800 729 0080, é responsável somente por autorizar procedimentos para os participantes Economus.

Fonte: www.cassi.com.br

4 comentários:

Jorge Teixeira disse...

Colega Cecília,
Peço licença para retornar no tempo, com o intuito de lembrar notícias e fatos importantes que aconteceram no início deste ano. Em janeiro de 2009 o Banco do Brasil divulgou informação classificada como fato relevante, anunciando que utilizaria R$ 5,33 bilhões do superávit da Previ para gerar lucro de R$ 2,52 bilhões no quarto trimestre de 2008. Ao incorporar superávit da PREVI aos lucros, o patrocinador automaticamente transferiu, para todos os seus funcionários da ativa, tanto do plano de benefícios “1” quanto do previ futuro, parcela do superávit através da participação nos lucros. Todos os colegas em atividade e os membros da diretoria receberam algum percentual, proporcionalmente aos seus cargos. Os acionistas também foram beneficiados ao receberem os dividendos relativos ao segundo semestre de 2008. Bom para todo mundo, inclusive os bravos e valorosos colegas da ativa. Depois de tudo isso uma pergunta se impõe: E nós, os aposentados e as pensionistas do plano de benefícios “1”? A resposta todos sabemos: LHUFAS. Ao divulgar o fato relevante e distribuir os recursos, o patrocinador desconsiderou tudo e deu como certa a apropriação contábil, em desacordo com o estabelecido na resolução 26 do CGPC, que ainda nem sequer foi objeto de decisão judicial definitiva. Alguém tem alguma dúvida de que a apropriação contábil (*), aliada à distribuição dos recursos, acabará por atropelar e modificar a sentença judicial a ser proferida? No meu entendimento isso será preponderante para favorecimento do patrocinador quando da decisão definitiva da justiça. .Quem entender diferente, e julgar oportuno, que por favor externe o seu ponto de vista. Revolta geral. Vejam o que disse dona Isa Musa, em trechos que apartei de comentário postado por ela aqui no blog dia 19.02.2009, às 08:59hs: “Abre Aspas” Cecilia, veja que talvez tenha chegado o momento de vocês todos, diretores e conselheiros eleitos da PREVI, terem uma conversa franca, aberta e fraterna com os indicados pelo BB. APOSENTADOS E PENSIONISTAS precisam ser contemplados com essa festença que se promove com o dinheiro da PREVI. Não se pode conceber que, outra vez, apenas alguns sejam beneficiados. Cadê "nossos" representantes ai na PREVI que não botam a boca no mundo? ”Fecha Aspas”. Entendo que ainda existe uma esperança para que possamos reverter esse estado de coisas. Na enquete anterior sobre o retorno ou não das contribuições tivemos duzentos e cinquenta e quatro participantes. Na enquete em curso já temos trezentos e sessenta e três participações (às 11:46hs de 07.08.2009). Ainda é pouco. Dirijo-me aos colegas que ainda não votaram para que se manifestem, respeitando como sempre a opção de cada um. Restam ainda sete dias para que possamos pelo menos sonhar com a possibilidade de dias um pouco melhores ainda em 2009, por conta de melhorias em nossos benefícios. Lembro mais uma vez que a reserva especial para revisão de plano está em R$16,5 bilhões, com base no balanço de junho/2009, e o ibovespa já ultrapassou a marca dos 56.000 pontos. Não poderia encerrar sem reproduzir trecho muito feliz, pertinente à pesquisa em curso, de autoria do nosso colega Ari Zanela, de que tratou o seu comentário do dia 06.08.2009 às 05:10hs. “Abre Aspas” Disseram aqui no blog, que os que têm opinião diferente não são radicais. Discordo. Ser radical é ser intransigível, ou seja, aquele que não faz concessões. No caso do superavit, a maneira mais sensata é tentar superar o nó, ou o travamento, ou o impasse, através da negociação que pressupõe mútuas concessões. Não há lei ou decreto, nem resolução que cerceie ou que se contrapõe a uma boa negociação. Quando duas partes querem chegar a um acordo que os favoreça, não há o que possa impedir ”Fecha Aspas”.
(*) – a CVM não acatou nenhum dos recursos interpostos pelas entidades representativas do funcionalismo contra essa apropriação contábil, pelo menos até o momento.

carlos disse...

Tenho sistematicamente posicionado contra perante a cassi sobre esta tal receprocidade.Ela já me explicou várias vezes mas não me convence.Vamos observar um exemplo prático.Perto daqui existe uma cidade que é um verdadeiro campus de experiências agro-pecuária, possuindo Embrapa, Universidade de Agranomia.Acontece que esta cidade de nome Cruz das Almas-ba possui sua Ag.do BB que estimo possuir em torno de 100 asociados da cassi, com alguns pontos de referência para atendimento médico/hospitalar.Acontece que com esta tal de reciprocidade passou-se a ser atendidos neste mesmo pontos mais de 800 associados da Embrapa-Empresa brasileira de pecuária e agricultura.Pergunto será que nosso atendimento não será prejudicado?será que o verdadeiro objetivo não será atender pleitos do Governo? Isto resulta em se votar em reforma estatutária sem explicações e nem leituras.Fiquem atentos.Pediria a ´cecília a publicação de todos estes convênios para que verifiquemos a quem beneficiam, pois lucro alguma dá a cassi, pois ela não foi criada para tal.ou é mais uma imposição da ANS.

Anônimo disse...

Cecilia,

isto envolve algum custo a Cassi???



sergioinocencio

Anônimo disse...

agora comeco a entender pq ja esamos 3%, co=participacao, e oBB injetando recursos na CASSI. ta explicado