domingo, 1 de março de 2015

Agora o ano de 2015 começou...

Caros colegas,
Agora é para valer... O ano de 2015 começou após o carnaval e, para nós da Previ, começou mesmo, pois houve a indicação e posse do novo Presidente - Gueitiro Matsu Genso - no dia 19.02. Essa última semana foi uma loucura, por isso peço desculpas por não ter atualizado o blog com tempestividade.

O novo Presidente me causou ótima impressão, pois é um perfil bem técnico, jovem, motivado, foco em resultado e muita disposição. Reuniu todos os funcionários da Previ, com um discurso de colega para colega, com muita humildade e bastante determinação. Isso pode fazer a diferença na gestão e, também tive a boa impressão com a sua vontade de melhorar a comunicação com os associados, o que é muito bom para todos.
previ_gueitiro_presi2.jpg

Leia mais sobre o novo Presidente da Previ: (http://www.previ.com.br/menu-auxiliar/noticias-e-publicacoes/noticias/detalhes-da-noticia/conselho-deliberativo-nomeia-novo-presidente-da-previ-1.htm)

Esta última semana também foi bem intensa com fechamento do balanço, reunião dos Conselhos Fiscal e Deliberativo da Previ. Logo, não faltaram emoções. Acredito que, em breve, o resultado será divulgado e com a chancela da auditoria externa independente Deloitte, uma das chamadas no mercado de "Big Four" (KPMG, Price, Ernest & Young e Deloitte), as mais conceituadas empresas de auditoria do mundo. Eu acredito que as explicações estão bem claras e que dará um bom panorama do resultado a todos os associados e demais interessados.

Em relação ao mercado, continuamos de mal a pior... Com o buraco da corrupção na Petrobras cada vez maior, a perda de grau de investimento, trouxe uma perda maior ainda. O que já estava ruim, ficou muito pior. O resultado de janeiro foi bem ruim e fevereiro melhorou um pouco, mas não muito. É bem provável que 2015 seja um ano complicadíssimo, principalmente porque parece que tem mais sujeira debaixo do tapete. Pelo que eu tenho lido na mídia, o setor elétrico, principalmente as empresas ligadas ao Governo também tem sua sujeira ainda escondida, fora os empréstimos do BNDES, que também são um bom ponto de interrogação.

A revista "The Economist", muito conceituada no mundo, trouxe em sua última edição, o Brasil na capa usando a metáfora do carnaval e a lama em que se encontra com o nome "Atoleiro do Brasil" (Brazil's Quagmire). Isso confirma a má impressão causada na imprensa especializada estrangeira em relação ao segundo mandato da presidente Dilma. Depois de o Financial Times listar "10 boas razões para a petista deixar o poder", agora a reportagem da revista "The Economist" enfatiza a confusão que domina a economia brasileira. A versão latino-americana da revista chegou nas bancas no dia 26.02, trazendo na capa a manchete "Atoleiro do Brasil". Eles reforçam a estagnação do País em 2013 que está se transformando em recessão, piorando com o grande escândalo de corrupção na empresa Petrobras que envolve propina bilionária distribuída entre políticos petistas e dos partidos da base governista.
A revista confronta o cenário atual com o que a presidente defendeu durante sua campanha eleitoral no ano passado, ressaltando que enquanto fazia campanha por um segundo mandato, Dilma pintou um retrato cor-de-rosa da sétima maior economia do mundo, com altos índices de emprego, salários crescentes e benefícios sociais que eram ameaçados apenas pelos planos neoliberais nefastos de seus oponentes. Com apenas dois meses do novo mandato, os brasileiros já perceberam que caíram no canto da sereia" (e que sereia...)